Como minimizar os sofrimentos psíquicos devido ao isolamento social ?

Como minimizar os sofrimentos psíquicos devido ao isolamento social ?

Como enfrentar os transtornos gerados pelo isolamento social nessa Pandemia ?

Um retrato do cenário mundial atual são incertezas geradas pelo isolamento social.

 

A recomendação das autoridades de saúde OMS em manter o isolamento social, afim de minimizar a propagação do vírus, traz mudanças drásticas no comportamento das pessoas.

   

A adoção de novos padrões na tentativa de reduzir o contato físico, traz fatores de riscos psicológicos como o adoecimento da saúde mental, assim como outros fatores como alimentação desregrada, doenças preexistentes, ausência de acompanhamento psicológico, sedentarismo e a angustia pela
necessidade de sair de casa. 

 

Em muitos casos de ansiedade vem pela apreensão ao medo de ser contaminado, cenário mundial atual de crise com desaceleração econômica, perda de renda e as diversas incertezas e dilemas que enfrentamos em meio a pandemia. 

 

O resultado disso é caracterizado pelo nível elevado de irritabilidade, desconforto, desamparo, tédio e raiva ao que não difere muito de situações traumáticas, como as oriundas de tragédias.

 

O isolamento prolongado é, portanto, um forte fator de estresse e desarmonia neurofisiológicas, podendo ser estes: desequilíbrios hormonais, inflamatórios e neuroquímicos, e nos casos de sintomas persistentes pode-se até desencadear um transtorno mental mais grave. Segundo pesquisas recentes da UERJ, “as mulheres são mais propensas do que os homens a sofrer com estresse e ansiedade durante a quarentena”.



Como saber se estou ansioso ou com depressão?

 

 Fique atento, porque em períodos como esse de apreensão, um pouco de ansiedade é normal, porém é  preocupante quando os sintomas se expandem aos limites relacionados com o isolamento, invadindo outras faces da vida como a familiar, conjugal e profissional. Muito comum também surgir leve sintomas
físicos como tremores, cansaço fácil, sensação de falta de ar ou asfixia, coração acelerado, suor excessivo, mãos frias e suadas, boca seca, tontura, náuseas, diarreia, desconforto abdominal, ondas de calor, calafrios, micção frequente, dificuldade para engolir, sensação de engasgo, entre outros. 

 

Caso você esteja ao ponto de deixa de ter interesse pelas atividades que gostava, é invadido por intensa tristeza, sente uma irritabilidade incontrolável, sensação de fadiga, desgaste emocional, insônia,
pensamentos negativos, já se caracteriza uma depressão. 
Porém é muito comum a coexistência de sintomas depressivos e de ansiedade.

 

Quando a ansiedade e a depressão começam a afetar a funcionalidade do corpo, sistemas imunológicos e mentais, é sinal que se deve buscar ajuda profissional qualificada.

 

Estratégias para controlar a ansiedade

O ansioso é aquele que está sempre no futuro tentando solucionar problemas que ainda não existem e que possivelmente nem existirão. A meditação é uma forma de estar no presente, pois ajuda a esvaziar a mente das ocupações que deram ansiedade.

 

Pesquisas cientificas de Neurocientistas já comprovaram que a prática de meditação contribui para aumentar a região do córtex pré-frontalesquerdo, região responsável pelo sentimento de felicidade.

 

Enquanto lê este texto, preste atenção à sua respiração, ao modo como o ar entra e sai pelas suas narinas. 

Só o fato de respirar com consciência já lhe trará mais clareza e tranquilidade, benefícios que você também pode obter por meio da meditação. 

Os níveis de desatenção no mundo atual são muito grandes, e os dados científicos nos indicam que em aproximadamente 47% do tempo não estamos atentos ao que estamos fazendo no momento e como fazemos para fugirmos de tanta informação que sobrecarrega nossa mente ?

O que é Mindfulness ?

“O estado de mindfulness seria então como um antídoto a viver desatento, no piloto automático e agindo sem consciência às situações”, explica o especialista Marcelo Demarzo, médico, especialista em Medicina Preventiva e fundador e coordenador do Mente Aberta – Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde

Ocupar seu tempo ajuda a combater a ansiedade e depressão ?

O estilo de vida e os fatores estressores do ambiente, interligados à predisposição genética quanto às respostas negativas, também influenciam nesse processo.

Atividade física se demostra extremamente eficaz no combate desses aspectos neuropsicológicos e neurobiológicos.

Então aproveite e tire a bicicleta de casa e se exercite!

Estudar também vem de encontro com essa terapia, o foco em algo novo te ajudará no processo de cura, além de agregar conhecimento essa modalidade melhora em geral a autoestima e a percepção de autoeficácia, do humor e do bem-estar psicológico, (distração – afastar   pensamentos negativos), e sociais (ganhos sociais pela interação nas atividades).

Cursos como Neurociências ou na área de Meditação serão bem vindos na compreensão de tratamentos da ansiedade e depressão.

Este post tem um comentário

  1. Parabéns pelo artigo!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu

Preencha os campos abaixo, nós ligaremos para você!